É preciso reforçar os perigos do produto informal

Todos os envolvidos no nosso setor podem auxiliar, e um dos caminhos promissores é a educação

 

 

Uma das três prioridades da Abipla é o combate à informalidade – as outras duas são sustentabilidade e tributação no setor. Produtos informais geram concorrência desleal para as empresas do nosso mercado, perdas financeiras para a indústria e comércio, além de trazer riscos à saúde e ao meio ambiente.
A venda de itens ilegais, aparentemente inofensiva, é expressiva no setor de produtos de limpeza. Seja por meio de lojas ou distribuição feita nas ruas com os automóveis e o uso de alto falante. Quem nunca viu o caminhãozinho da limpeza no bairro, anunciando os seus produtos, muitas vezes utilizando nomes de marcas conhecidas e regularizadas?
Pois bem, todos nós devemos lutar contra esse cenário fazendo o máximo esforço para combater a informalidade. Uma das formas para atingirmos este objetivo é educar o consumidor, mostrando os malefícios da informalidade para o consumidor e a economia.

Perdas – Das empresas do nosso setor registradas no Brasil, de PMEs a grandes players, cerca de 60% têm autorização da agência de vigilância sanitária (Anvisa) para fabricar. Algumas categorias de produtos chegam a ter em torno de 40% do seu faturamento vindo do mercado informal, como a água sanitária, ou perto de 30%, no caso dos desinfetantes.
Estima-se que a informalidade gere em torno de R$ 1,5 bilhão de perda em faturamento no setor, e perda de mais de R$ 700 milhões em impostos – segundo levantamentos mais recentes que temos (FIPE/Nielsen-2015).
Ou seja, a informalidade é um aspecto extremamente negativo do setor de higiene e limpeza para uso doméstico e institucional e profissional. Afeta tanto o consumidor quanto a produção de produtos de limpeza. Os itens não autorizados pela Anvisa colocam em risco a saúde das pessoas e a própria eficiência da limpeza e higienização, além de gerar uma competição desleal.

Como mudar – Vale ressaltar que é importante combatermos juntos a produção e o comércio de produtos informais e ilegais de higiene e limpeza. Uma maneira é auxiliar o poder público no sentido de oferecer às empresas que desejam os meios para formalizarem e oficializarem os seus negócios.
Outra linha de ação é difundir informações e recomendações para os nossos consumidores. A primeira delas, e talvez a mais importante, é estimular para verificarem se há no rótulo do produto a autorização do Ministério da Saúde e da Anvisa. Isso indica a procedência do produto, mostrando que ele é seguro e tem qualidade boa.
Também podemos ressaltar aos consumidores que é indicado comprar produtos adequados às suas necessidades, como itens específicos para cada ambiente (cozinha, banheiro, vidros, superfícies, hospitais, hotéis, etc) e ainda ressaltar que é sempre necessário ler os rótulos com atenção para fazer o uso correto dos produtos e não esquecer o descarte adequado depois de consumi-los.

Todos os envolvidos no nosso setor podem pensar em soluções e ajudar a combater a informalidade e a pirataria. Com isso, preservamos os nossos negócios, a reputação das nossas marcas e, principalmente, a saúde das pessoas.

.

 

Galeria de Fotos

Veja como foram nossas edicoes anteriores

Action

Garanta já a sua presença

Um evento acima da expectativa, clique ao lado e participe!

Contato

Temos certeza que podemos desenvolver ações que irão ajudá-los a atingir
suas metas e adquirir visibilidade. Entre em contato conosco e vamos conversar.



Promoção
Revista H&C / FREEDOM Comunicações
Rua Rio da Prata, 164 - São Paulo - SP - CEP: 04571-210

Fone 11 3849-0094
WhatsApp 11 98185-1700



Patrocinadores e Apoio de 2017

Patrocínio Ouro



Patrocínio Prata




Patrocínio Bronze



Apoio Institucional




Inteligência de Mercado

Mídia Oficial e Realização